voltar para Página InicialEventosCursosANT 7033 – Tópicos Especiais em Antropologia VII: Xamanismo (508204 – Turma 06310)

ANT 7033 – Tópicos Especiais em Antropologia VII: Xamanismo (508204 – Turma 06310)

De 22/08/2011

Local: Universidade Federal de Santa Catarina, Sala CHF 324
Universidade Federal de Santa Catarina
Centro de Filosofia e Ciências Humanas

ANT 7033 – Tópicos Especiais em Antropologia VII: Xamanismo (508204 – Turma 06310)

Semestre: 2011.2
Horário e Local: quintas feiras, das 8:20 às 11:50; Sala CFH 324

Professora: Isabel Santana de Rose
Estagiário: Ari Ghiggi Junior

Contatos: belderose@yahoo.com.br e ari.ghiggi@gmail.com

Ementa:

Esta disciplina visa explorar a diversidade das práticas xamânicas hoje a partir de uma abordagem etnográfica sobre suas expressões indígenas, mestiças e urbanas. Originalmente concebido como uma religião ou magia arcaica destinada à extinção, o xamanismo hoje se encontra em plena reinvenção tanto entre populações indígenas quanto em grupos distantes de suas origens culturais. A expansão do xamanismo para as culturas não-indígenas nos permite examinar este fenômeno à luz das questões centrais na antropologia contemporânea, tais como as noções de cultura, tradição, continuidade, lugar e práxis. No final da disciplina, esperamos abrir debate sobre o conceito xamanismo e sua utilidade para compreender a diversidade de suas práticas e representações hoje.
Metodologia: Aulas expositivas, realização de trabalhos individuais e em grupo, discussão de filmes e palestras com outros professores.
Avaliação: Presença e participação nas aulas (10%); resumos dos textos e outros pequenos trabalhos (30%); trabalho(s) escrito(s) (60% do total).

1. O que é um xamã? O que é xamanismo?

Aula 01 (18/08): Apresentação do programa

Aula 02 (25/08): Definição clássica de xamã
Eliade, Mircea. Visões e sonhos iniciatórios entre os xamãs siberianos. Caillois, Roger e G.E. van Grunebaum, (orgs.) 1978 (1966). O Sonho e as Sociedades Humanas. Colóquio de Royaumont. Rio de Janeiro, Livraria Francisco Alves Editora S.A.

Bacigalupo, Ana Mariella 2001. La Voz del Kultrun en la Modernidad: Tradición y Cambio en la Terapéutica de Siete Machi Mapuche. Santiago, Ediciones Universidad Católica de Chile. (Capítulo 2, “Comsmovisión Mapuche. Las Machi, representaciones actuales” pp. 1-45).
Cooper, John M. 1986. “Estimulantes e narcóticos”. In Darcy Ribeiro (ed.) Suma Etnológica Brasileira, vol.1. Petrópolis, Vozes/FINEP, pp: 101-118.

Aula 03 (08/09): Magia e poder do rito

Levi-Strauss, Claude. “O feiticeiro e sua magia”. In Antropologia Estrutural. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro. pp: 193-214.

Pereira, Renato Barbosa Rodriguez 1989. “Xamanismo e Medicina”. Ciências Hoje 9 (no. 50): 40-47.
Leitura complementar: Mauss, Marcel 2003. “Esboço de uma teoria geral da magia” (trechos selecionados). In Sociologia e Antropologia. São Paulo, Cosac & Naify.

Aula 04 (15/09): O que é xamanismo

Langdon, Esther Jean 1996. “Introdução”. In Esther J. Langdon (org.) Xamanismo no Brasil: Novas Perspectivas. Florianópolis, SC., Editora UFSC.

Chaumeil, Jean-Pierre 1998. Ver, Saber, Poder: Chamanismo de los Yagua de la Amazonía Peruana. Lima, Centro Amazónico de Antropología y Aplicación Práctica (CAAAP).

2. Xamanismos indígenas e sua diversidade

Aula 05 (22/09): Xamanismo Siona (profa. Esther Jean Langdon)

Langdon, E. Jean 1988. Religião, Magia, Ou Feitiçaria?: O Pensamento Antropológico Sobre o Xamanismo. Florianópolis, UFSC. Pp. 10-39. (pdf)

Langdon, E. J. 2004. “A Tradição Narrativa e Aprendizagem com Yagé (Ayahuasca) entre os Índios Siona da Colômbia”. In Beatriz C. Labate e Wladimyr Sena (orgs.) O Uso Ritual da Ayahuasca. Campinas, FAPESP/Editora Mercado de Letras. pp. 67-93. (pdf)

Langdon, E. J. “O sistema Médico dos Siona” pp. 17-34. In A Negociação do Oculto: Xamanismo, Família e Medicina entre os Siona no Contexto Pluri-Étnico. Trabalho apresentado para o Concurso de Professor Titular na Universidade Federal de Santa Catarina.

Leitura complementar: Langdon, E. J. 2000 “A Cultura Siona e a Experiência Alucinógena”. In Lux Vidal (org.) Grafismo Indígena: Estudos de Antropologia Estética (2a. Edição). São Paulo, Editora Nobel/EDUSP. pp. 67-87.

Aula 06 (29/09): Xamanismo Siona (profa. Esther Jean Langdon)

Langdon, E. J. 1994 “Representações de Doença e Itinerário Terapêutico entre os Siona da Amazônia Colombiana” In Ricardo V. Santos e Carlos Coimbra, orgs. Saúde e Povos Indígenas. pp. 115-142, Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ.

Langdon, E. J. 1999. Representações do poder xamanístico nas narrativas dos sonhos Siona. Ilha l (1): 35-56.

Langdon, E. J. 2010 (2011) Xamãs e xamanismos: reflexões autobiográficas e intertextuais sobre a antropologia. Revista Ilha. 11(2): 161-191.

Aula 07 (06/10): Xamanismos mestiços – Sibundoy

Ramírez, María Clemencia 1997. El chamanismo, un campo de articulación de colonizadores y colonizados en la región amazónica de Colombia. Revista Colombiana de Antropología, Vol. XXXIII, Santafé de Bogotá, 1996-1997.

Filme sobre os Sibundoy

Ramírez de Jara, Maria Clemencia e Carlos Ernesto Pinzón C. 1986. “Los hijos del bejuco solar y la campana celeste.

El yaj]e en la cultura popular urbana”. America Indígena XLVI: 163-188.

Filme sobre os Sibundoy

Aula 08 (13/10): Xamanismo Kaingang (sul do Brasil) (prof. Ari Ghiggi)

Oliveira, M. C. de 1996. Os Especialistas Kaingang e os Seres da Natureza: Curadores da Aldeia Xapecó – Oeste de Santa Catarina. Florianópolis: FCC Edições.

Leitura Complementar: Rosa, Rogério R. 2005. “A dinâmica do Xamanismo Kaingang”. Numen: revista de estudos e pesquisa da religião, v.8, n.2: 79-103.

Aula 09 (20/10): O caso do Nordeste (prof. Marcos Albuquerque)

Pacheco de Oliveira, João 2005. “Prefácio”. In Grunewald, Rodrigo A. (org.) Toré. Regime encantado do Índio do Nordeste. Recife, Fundação Joaquim Nabuco/Editora Massangana.

Grunewald, Rodrigo A. 2005. “As múltiplas incertezas do toré”. In Grunewald, Rodrigo A. (org.) Toré. Regime encantado do Índio do Nordeste. Recife, Fundação Joaquim Nabuco/Editora Massangana.

Vídeo de Marcos Albuquerque

3. Xamanismos contemporâneos

Aula 10 (27/10): Religiões ayahuasqueiras brasileiras – Santo Daime (prof. Alberto Groisman)
Leitura complementar: SOARES, Luis Eduardo 1994. “Religioso por natureza: cultura alternativa e misticismo ecológico no Brasil”. In: O rigor da indisciplina. Ensaios de Antropologia. Rio de Janeiro, Relume-Dumará.

Aula 11 (03/11): Avaliação

Aula 12 (10/11): Nova Era e xamanismo urbano (prof. Pedro Musalem)

Magnani, J.G.C. 2000. O xamanismo urbano e a religiosidade contemporânea. Religião & Sociedade, 20(2): 113-140.

Magnani, J.G.C. 2005. Xamãs na Cidade. Dossiê 67 – Religiosidade no Brasil. Revista da USP. Pp. 218-227.

Harner, Michael 1995. O caminho do xamã. São Paulo, Editora Cultrix (Capítulo 3, “Xamanismo e estados de consciência”, pp: 76-98).

Leitura Complementar: Maluf, Sônia 2003. “Os filhos de aquário no país dos terreiros: novas vivências espirituais no sul do Brasil”. Ciências Sociais e Religião 5(5): 153-172

Aula 13 (17/11): Redes xamânicas, diálogos e globalização

Rose, Isabel Santana e Esther Jean Langdon 2010. “Diálogos (Neo)Xamânicos: Encontros entre os Guarani e a Ayahuasca.” Revista Tellus ano 10, no. 18: 84-113.

Losonczy, Anne-Marie e Silvia Mesturini Cappo 2011. “La Selva Viajera: Etnografia de las Rutas del Chamanismo Ayahuasquero entre Europa y America.” Religião e Sociedade 30, no. 2: 164-183.

4. Como pensar o xamanismo

Aula 14 (24/11): Perspectivismo ameríndio

Seeger, Anthony, Roberto DaMatta e E. Viveiros de Castro 1979. “A construção da pessoa nas sociedades indígenas brasileiras”. Boletim do Museu Nacional, n.32: 2.19.

Langdon, Esther Jean.1995. “A Morte e Corpo dos Xamãs nas Narrativas Siona”. Revista de Antropologia da USP, 38(02):107-149

Leitura complementar: Viveiros de Castro, Eduardo 2006. “A floresta de cristal: notas sobre a ontologia dos espiritos amazônicos”. Cadernos de Campo, no. 14/15: 319-338.

Aula 15 (01/12): Xamanismo como tradução

Albert, Bruce 2002. “O ouro canibal e a queda do céu. Uma critica xamânica da economia política da natureza (Yanomami)”. In: Bruce Albert e Alcida Rita Ramos (orgs.) Pacificando o branco: cosmologias do contato no norte-amazônico. São Paulo, Editora da Unsep.

Carneiro da Cunha, Manuela 1998. “Pontos de Vista sobre a Floresta Amazônica: Xamanismo e Tradução”. Mana 4(1):7-22.

Aula 16 (08/12): Xamanismo, contato e modernidade

Brunelli, Gilio 1996. “Do Xamanismo aos Xamãs: estratégias Tupi-Mondé frente à sociedade envolvente”. In: Esther Jean Langdon (org.), Xamanismo no Brasil: Novas Perspectivas. Florianópolis, Editora da UFSC. Pp. 233-266.

Pérez Gil, Laura 2004. Chamanismo y modernidade: fundamentos etnográficos de un processo histórico. In Calavia Sáes, Óscar , Marc Lenaerts, Ana María Spadafora (eds). 2004. Paraíso Abierto, Jardines Cerrados: Pueblos indígenas, saberes y biodiversidad. Quito, ABYA-YALA.Pp.179-201.

Aula 17 (15/12): Avaliação e encerramento da disciplina